quinta-feira, 17 de setembro de 2009

O encontro!

Bem, até o momento já aconteceram muitaas coisas...
Vou tentar dar conta da maioria delas!
Bem antes de qualquer coisa eu quero dizer que Ik mis jullie!!!!!!!!
Eu sinto muitaa saudade!
Nao estou triste, mas eu amo vcs demais!
Na Familia hospedeira todos me tratam super bem e na escola eu já estou fazendo amigos.
Bem eu parei minha jornada aqui no aeroporto, e depois disso tivemos o Camp...
Que durou do dia 21 de agosto até dia 25.
Foi muito bom, tinha em média 160 estudantes de váriooos paises. É muito legal conversar com eles e ver como somos parecidos!Quer dizer, é lógico que temos nossas diferenças culturais mas cada dia eu vejo mais o quanto somos todos parecidos. Em um intercâmbio nós podemos ver claramente que as pessoas são todas pessoas! Cada dia eu repudio mais as guerras...
O mais cansativo do camp era estar sempre tendo o primeiro contato com quase todo mundo, ter a primeira conversa, ter assunto (em inglês)... e além disso eu estava me sentindo de certa forma sozinha...
Tinha deixado tudo no Brasil, e ainda não tinha conhecido a minha familia belga, me sentia meio que sem chao, nao tinha a quem recorrer, ou algo do tipo.
No camp tivemos mil atividades sobre coisas praticas do intercambio, regras, dutch e várias atividades de interação entre os intercambistas, foi muito legal. Qualquer dia conto com mais detalhes!
Mas vamos para o dia em que eu encontrei com a familia (por favor não me levem a mal por escrever familia, não troquei a brasileira pela belga, mas é o melhor jeito de chamá-los, e é como eu quero me sentir aqui. Eu simplesmente amo voces!)
Bem, continuando...esse foi o dia mais emocionante aqui na bélgica. Eu estava muito ansiosa para conhecê-los, queria me sentir em um lar de novo. Mas ao mesmo tempo estava muito nervosa, estava com medo...não sabia como ia me comportar ou o que dizer quando encontrá-los. Todos no camp estavam do mesmo jeito. No onibus indo para a cidade em que iamos encontra-los eu quase não falei nada, estava com um nó na garganta eu acho. Estava me sentindo de um jeito que eu nunca senti antes. Não conseguiria explicar, só vivendo tudo isso para entender...
Quando chegamos em Ghentbrugge, vi minha irmã mais velha com os outros voluntarios do afs (mais uma vez não esqueci da minha familia no brasil, eu amo vcs!) quando estava no onibus, nao sabia se realmente queria sair do onibus, nao sabia o que dizer...haushuahsuahsu...olha a situaçao eu, Renata não sabia o que dizer, tentem imaginar!
Bem, eu desci do Onibus (óbvio-hahahha)...ela me abraçou e depois eu tive que entrar com os outros...a hora de encontrar toda a familia estava proxima!
Nesse momento tive 5 minutos de muito nervosismo e ansiedade, minhas pernas estavam tremendo. ashuahsuahsu
Entramos numa sala e lá estavam todas as familias hospedeiras esperando pelos seus novos filhos!
Foi muito emocionante.
Quando vi minha nova mãe fiquei muito feliz, não estava mais me sentindo sozinha, ela estava lá no fundo e sorriu pra mim e me acenou. Logo depois vi minha irmã mais nova, meu pai e meu irmão -belgas. Não conseguia parar de sorrir. Enquanto isso a presidente do comite estava fazendo um discurso (não me perguntem do que, era em dutch hahaha).
Depois nos apresentamos em Dutch:
Ik ben Renata.
Ik kom uit Brazilië.
En ik ga naar de familie Van Cauwenberghe.
E entao eu falei algumas coisas portugues ( e todo mundo riu, pela diferença na velocidade entre o dutch e o portugues) e então traduzi para o inglês. Todos fizeram isso. E então fomos para fora do prédio e dançamos uma dança folclorica belga que aprendemos no camp, as familias riram bastante...
Depois disso enfim podiamos falar com as nossas novas familias.
Não sabia como deveria comprimentá-los, mas eles tomaram a iniciativa e foi como cumprimentar brasileiros, beijinho na bochecha...
Estávamos todos muito felizes!!
Fomos pegar minhas malas, eles nao me deixaram carregar, a Lauren e o Ruben levaram pra mim hahahah...
e no aeroporto no brasil tive que levar as duas sozinhaa hein! =P
Bem no carro falamos coisas básicas, eu tava com tabto medo de não saber o que falar mas foi tudo beem!
Eu ensinei eles a falar meu nome certo e eles me ensinaram a falar Ineke do jeito certo tb! hahahah
Chegabdo em casa eles me mostraram tudo, e meu que casa lindaaa! ahhaha
super organizada... bem depois de deixar as coisas no meu quarto peguei algusn presentes e as fotos do Brasil pra mostrar dar pra eles.
Foi muito legal, e meu papa disse que parecia Natal hahhaha
Depois fiquei na sala conversando mais um pouco, estava me sentindo muito tipo, nao sei o que fazer, estava no que seria minha casa por um ano...sensação dificil de explicar!
E quando eu cheguei em Oudenaarde de carro e vi como aqui é lindo e vi tudo que estava vendo pelo computador no Brasil, beem foi simplesmente mágico!!

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

O começo

Oii!

Eu sou um tanto quanto desleixada, abandonei o blog ...mas estou de volta ao meu cantinho.
Bem, pra quem não sabe, estou na Bélgica desde o dia 21 de agosto.
E cada vez mais eu tenho certeza de que essa história de intercâmbio é uma grande aventura e loucura também.
As coisas por aqui vão muito bem, mas a saudade é muito forte também.
Em primeiro lugar, gostaria de deixar bem claro que o teclado daqui é TODO diferente então não fiquem julgando meus erros eles vão ser comuns e às vezes vai ser tão difîcil pra vocês entendê-los quanto está sendo dificil entender o holandês!!!

Bem vamos comecar do comeco (não, aqui não tem cedilha)…rsrs

Dia 20 de agosto de 2009 foi um dia que dificilmente eu vou esquecer. É o tipo de experiência que marca qualquer um. É dificil de explicar com palavras e ainda mais dificil guardar dentro de si todos os sentimentos que surgem.

Quando eu acordei nesse dia tão atipico tudo parecia normal, só tinha aue tomar banho, me arrumar, checar as malas e esperar. Mas se tem uma coisa que acontece com todo intercambista e que eu simplesmente não consigo entender é como a nossa ficha não cai de jeito nenhum !!! Digamos que aquela era A manhã, a minha última manhã em casa com o meu travesseiro, a minha casa, a minha família e tudo o mais a que eu já estava habituada. E para mim não passava de uma manhã normal...eu não estava nervosa, nem histérica ou com medo, apenas um sentimento que eu não conseguiria explicar.

A tarde eu fui almocar com meu pai, minha vó Maria e com a vane no Center norte,e bem nós já estávamos atrasados... Depois do almoco meu pai ainda inventou de ir comprar um relógio pra mim...nunca escolhi alguma coisa tão rápido em toda a minha vida (menos de 5 minutos) e acredito que a maioria de voces conhece a minha indecisão. Rsrs – mas eu realmente nao posso reclamar, alias tenho que agradecer..eu não seria nada aqui sem um relógio : tudo aqui é baseado no horário. **valeu gordinho ** hauhsuahsuah

Bem, no aeroporto fui a ultima a chegar, a fazer check-in e tudo o mais (dentro de um grupo de 30 pessoas)...
A maioria já tinha feito o embarque e eu estava colocando mil aderecos e tirando fotos da minha mala no check-in…
Coisa típica da brega da Renata Garcia…
Aliás, depois posto uma foto aqui das minhas malas...
Mas voltando ao ponto : eu estava lá no aeroporto com tantas coisas pra acabar de arrumar e com pessoas muito especiais e sério eu tinha muito o que falar com elas, mas o tempo não deixou...
Eu estava toda afobada, a de repente o pessoal do AFS diz que eu já tinha que embarcar, sim, esse foi o primeiro baque do dia : foi muito de repente. A momento que eu tanto temi em alguns dias tinha chegado : me despedir de daqueles que eu mais amo. Essa não foi uma tarefa fácil, foi um dos momentos mais dificeis da minha vida. Eu estava muito feliz por poder viver tudo isso que estou vivendo agora, mas a despedida foi muito chocante, foi muito brusca...

Eu queria falar muitas coisas, mas não tinha tempo para isso ; eu queria abracar cada uma das pessoas que estavam lá por uma hora ! mas eu tinha alguns minutos para abracar todas elas...

Foi muito dificil me segurar pra não comecar a chorar. Eu queria só ter gritado: Eu amoo vocês !!!
Amo muitooo !
Quando eu passei pelo embarque e o olhei pra trás pra olhar todos mais uma vez e só via uma parede nas minhas costas, meu coracao apertou, um aperto dificil de segurar, se eu chorei ? Chorei. Estava sozinha, no meio de uma fila enorme. Tinha que sacudir a poeira e dar a volta por cima, tive que me conformar de que só veria todas aquelas pessoas depois de um ano.
Depois que eu passei pelo detector de metal, estava me sentindo a cada passo mais longe de casa... mas de repente eu comecei a ouvir alguns gritos, e ali naquele pequeno momento eu tive uma das emocoes mais fortes e mais felizes da minha vida : meus pais, avós, a vane, meu tio, meu primo, minhas amigas...estavam todos lá bem no fimzinho de onde meus olhos podiam alcancar...a felicidade de vê-los ali foi indescritivelmente feliz ! bem, eu não preciso nem dizer que aí eu chorei de novo...só que de felicidade.

De repente eu estava com vários intercambistas todos na mesma situacao : sozinhos numa nova empreitada.
Depois de algum tempo estávamos entrando no avião, isso não foi muito difícil. Difícil mesmo foi quando ele comecou a andar.Tudo estava ficando para trás...


A viagem foi bastante descomfortável, consegui dormir só algumas vezes e no máximo por 10 minutos. E nenhum dos tripulantes falava português, nessa hora comecei a perceber que estava indo pra longe, bem longe.
Como o voo tinha saido atrasado de Guarulhos, tivemos que nos apressar chegando em Madrid. Mas o aeroporto é gigantesco, andamos em várias esteiras rolantes, escadas rolantes, andamos, pegamos filas, um metro interno, e mais escadas, mais caminhadas...e depois de pedir algumas informacoes chegamos no setor da Ibéria. Mas o nosso voo tinha partido há minutos. Teriamos que esperar 4h no aeroporto, mas o problema maior era que com essa confusão toda a probabilidade de extraviarem nossa bagagem era consideravelmente maior.
Depois disso cantamos *Atirei o pau no gato..* em coro, para a moca da Ibéria que tinha remarcado nossas passagens (ela tinha pedido que cantassemos uma musica brasileira, mas nao encontramos na hora nenhuma outra musica que todos soubessem cantar…rsrsr)
Fomos almocar e tive outro baque : comidas esquisitas e não tinha como pedir informacões em ingles naquele lugar, e eu não entendia o que os funcionarios estavam dizendo...peguei o que era sem erro algo não muito diferente : pasta .
Então deitamos por um tempo no chão do aeroporto, tava todo mundo detonado por causa das 10h de avião… Ahh eu também fiquei quase meia hora tentando descobrir um jeito de ligar a cobrar para o Brasil, liguei para todos os números de ajuda que tinha naquela porcaria, falei em ingles, tentei arranhar um espanhol com os carinhas da telefonica, mas não teve jeito…fiquei sem ligar (mas também eu já tinha avisado papis e mamis que ia ligar depois do acampamento, aí o papis pede pra eu ligar de Madrid na hora que eu tava me despedindo e nem tive tempo de raciocinar de que realmente ia ser bem dificil ligar, mas, enfim né… huahuhsauhsua
Quando eu peguei o avião pra ir pra bruxelas eu acho que comecei a perceber que estava indo pra Bélgica : um mooonte de gente loiraa ! hauhushauhuahs
A coisa que mais tem por aqui é comida e gente loira...
No aeroporto de bruxelas a gente demoroo pra achar onde pegar as malas o grupo se desencontrou, mas enfim quando chegamos no lugar certo eu vi de primeira uma das minhas malas (uma vermelhinha bem brega) huahsuahs fiquei super aliviada...mas aí quando parou de aparecer malas e quase todos os brasileiros estavam sem, eu comecei a ficar aflita. Afinal a mala que eu tinha estava com os presentes e comida brasileira, as minhas roupas e etc estavam na mala perdida.
O que siginifica que lá foram todos os brasileiros ficarem 2 horas na fila pra descrever a mala (ainda bem que eu tirei fotos da minha) rsrs o cara do aeroporto até riu quando viu que eu tinha até foto, sem contar a baianada que eu fiz nela.
Depois disso fomos para o camp, era pouco mais de 9 horas e estava começando(achei o cedilha !) a escurecer...mas o camp é para outro post. Nu ik ben moe (para os leigos : Agora eu estou cansada-de digitar) hauhsuahsuh
E eu preciso estudar um pouco de dutch e dobrar a roupa limpa enquanto meu host irmao põe a louça na vatwasser (máquina de lavar louça)
Mas pra ser bem sincera ainda não caiu a ficha de que eu estou realmente fazendo tudo o que eu estou fazendo. Como algum outro intercambista falou (não lembro mesmo quem foi) *parece que ela tá presa com chiclete* ou qualquer outra coisa assim...mas assim que ela cair, despencar ou seja lá o que acontecer eu conto pra vocês.
Amanhã é o meu primeiro dia de aula ! Estou ansiosa ...
E ainda tenho muito o que contar...sobre o camp, a chegada a familia, os lugares que eu já fui e sobre a comida também.
Bem tenho muito ainda o que digitar...rsrs
A Host family é muito legal e eles estão me tratando supeer bem. Vou até ficar mal acostumada!
Hauhsuahsuah
Mas por enquanto ainda não me sinto muito a vontade, ainda não peguei 100 por cento o ritmo da casa, tenho que observar mais.
Ah e no momento eu já passei por Bruxelas, visitei Ghent e Knokke e moro em Oudenaarde.
Assim que eu tiver um tempinho venho contar as outras coisas que aconteceram.
E eu já sei umas 150 palavras em Dutch e consigo formar frases tão boas quanto as de um bebe de 1 ano e meio \o/
Agora eu tenho que ir, pq chegaram 2 amigas da minha host sister e eu vou ficar lá no jardim com elas – é dificil de acreditar mas faz calor aqui nessa Bélgica !

Beijãoo
Amo muito vocês !!!!
Saudade
=)

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Aguardando pelas...

CORES DO VERÃOO!!!

Dias cinzas, sozinhos e fechados...




















Elas estão aguardando, ainda não é hora de perambular por aí...




















...Ahh!!! Mas o verão chegou...quem resiste??

Daí as
Cores se LIBERTAM!! \o/

Posted by Picasa